Por Marcelo Salvo

13 Desafios de um Gestor Comercial – Parte III/III

Com este post concluímos a matéria sobre “cicatrizes” da liderança. Veja as partes já publicadas nos dois posts anteriores.

10 – Pensar na própria carreira – Se o líder pensar na própria carreira antes de pensar na carreira da equipe, estará dando um tiro no pé, as duas coisas devem acontecer simultaneamente, seus objetivos não são superiores aos objetivos da equipe, muito embora tenha visto muitos líderes fazendo isso, tenha certeza que sua equipe estando feliz e realizando seus objetivos, o seu crescimento acontecerá naturalmente.

11 – Responder por prazos e qualidade da equipe – Muitas vezes tive que assumir erros da minha equipe, por entender que se erraram, eu havia deixado de fazer alguma coisa, em empresas sérias, o líder que fugir de suas responsabilidades perde moral, credibilidade e futuramente o emprego, mas também existem empresas onde o líder se esconde nos momentos que deveria assumir os erros, deixando de focar na solução e orientação de sua equipe. Enfim, podemos fazer o mais fácil ou o certo, o livre arbítrio é o que difere o bom e o mau líder.

12 – Lidar com resistência a mudança – Algumas pessoas têm uma resistência à mudança muito grande e tentam fugir das obrigações, boicotar novos processos e procedimentos, se dedicam pouco para o novo, querem que tudo dê errado para que continue sempre na zona de conforto, ou seja, a resposta normalmente é “Nos últimos 30 anos foi assim, por que mudar?” Lidar com essa situação causa uma angustia enorme para os líderes, muitas vezes acreditamos na equipe, confiamos que ela pode desempenhar o proposto sem reclamar, simplesmente fazer por que foi pedido para fazer, no máximo esperamos questionamentos, algo natural de uma equipe inteligente, mas dizer não por dizer, foi algo que me consumiu muitas vezes em algumas empresas por onde passei e tudo isso causa conflitos e desgastes totalmente desnecessários.

13 – Contratar e demitir – Contratar quem não gostaria de contratar, demitir quem não gostaria de demitir, reduzir a equipe sendo sua, a escolha das pessoas, faz dessa responsabilidade um momento delicado e tenso.

Olhar nos olhos daquele profissional que gosta do que faz, que tem família, que precisa do emprego e que sempre foi um bom profissional, e dizer “eu preciso te desligar”, o olhar que volta para nós, o sentimento estampado no rosto da pessoa, o reflexo que causa na vida desse profissional e da família, a quebra de sonhos, tudo isso faz com que este momento seja o mais difícil de todos os citados neste artigo.

E quando a pessoa pede explicação sobre sua demissão e você não tem nada para justificar, apenas as velhas e medíocres respostas “A empresa está reestruturando o setor” ou “A empresa está passando por um momento difícil e precisamos reduzir o quadro” faz com que levemos esses momentos para o resto de nossas vidas.

“Todas as nossas decisões são acompanhadas de consequências, cabe a nós tentarmos fazer uma rápida reflexão antes de tomar a decisão, que seja adequada para aquele momento”.

Marcelo Salvo, Colunista do Blog do Vendedor e Consultor de T&D na Atitude Profissional  atitudeprofissional@atitudeprofissional.net

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here