por Marcelo Salvo

Nos dois posts anteriores abordamos três dos cinco pontos, Ego, Meta e Comunicação. Agora, os dois último dos 5 pontos que durante 30 anos me deparei e que se tornaram em alguns momentos uma crise interna muito maior do que encontrávamos lá fora.

4 – Uso da Razão – Com o passar do tempo a razão vem tomando conta da sociedade brasileira, aquela história que somos diferentes do mundo, temos um carinho e bondade com as pessoas superior aos outros países, com o tempo vem reduzindo gradativamente, vejo hoje a razão ser o fator principal para se proteger, para não ser enganado, uma forma de dizer “que não somos bobos de ninguém”. Mas estamos perdendo nossa característica principal e isso não é legal.

Se digo que crise é mudança, então ser diferente nesse ponto, é utilizar a emoção totalmente, só que não, quero dizer que o ser humano no seu grau maior de inteligência é dotado de corpo, mente, espírito e sentimento. Quando falamos de razão como forma de agir, estamos excluindo a parte boa do ser humano, aquela que serve para ajudar as pessoas sem pensar no bolso e nem esperar um retorno.

Se entrego R$ 50,00 para uma pessoa se alimentar, não penso a falta que aquele dinheiro me fará e também não quero saber o que aquela pessoa fará verdadeiramente com o dinheiro, porque como ser humano preciso acreditar que ela vai se alimentar, caso contrário, os atos bons serão reduzidos e as pessoas boas pagarão pelos maus, assim sendo, o reflexo do futuro é violência, pessoas pensando individualmente e ignorando a fome, a pobreza, a discriminação, o preconceito, entre outros pontos.

Temos obrigação de ajudar as pessoas que por algum motivo têm menos ou que precisam de alguma ajuda, um emprego por exemplo.

Temos obrigação de fazer o dinheiro se movimentar dentro do país, mesmo que eu não precise de mais nada, pode ser que meus filhos, sobrinhos, pais, avos, amigos ou conhecidos possam precisar e se eu fizer algo por eles, teremos movimentado a economia em prol de alguém. O reflexo será benéfico para todos nós.

O uso da razão é importantíssimo para que tenhamos reservas de dinheiro, para que a gente não dependa do governo e tenha qualidade de vida no futuro, mas tudo deve ter seu equilíbrio, lembre-se a emoção é o que nos faz ter carinho, bondade, gratidão e amor pelo próximo.

 

5 – Felicidade – Buscamos a felicidade, no trabalho, em casa, entre amigos, nas relações, ou seja, mesmo que muitos não saibam o que gostam de fazer, eles ainda assim, buscam encontrar o que lhes façam felizes.

Para que a empresa ganhe espaço no coração das pessoas e não seja apenas uma de ganhar dinheiro e realizar os sonhos, mas que exista um desejo nas pessoas de estar e fazer algo por ela, crescer juntos e construir suas histórias, as empresas precisam se movimentar e ajudar nesse processo, conhecer as competências de cada colaborador, e envolve-los em projetos, incluí-los em ações de treinamentos para o crescimento de cada um naquilo que eles gostam e sabem fazer com amor e dedicação.

Esqueça a lei de oferta e procura para demitir e contratar pessoas, essa lei pode ser usada em outros momentos, mas aproveite o seu pessoal para desenvolvê-los, dê mais uma oportunidade e faça aquilo que poucos vem fazendo atualmente, preocupe-se com eles, todos os dias, com as famílias, com o lazer, com os relacionamentos, com suas angustias, preocupe-se com o que eles estão falando da empresa para os amigos, pois eles são a imagem da empresa lá fora.

Felicidade é a conscientização da crise.05

Marcelo Salvo, Consultor de T&D na Atitude Profissional
atitudeprofissional@atitudeprofissional.net