por Latif Abrão Jr

A inovação é um dos tópicos mais discutidos no meio empresarial contemporâneo e tal debate faz todo o sentido, visto que, sem inovar, as empresas estão restritas a fazerem sempre as mesmas coisas e a trabalharem com os mesmos processos e produtos.

Se esta postura de mercado podia até ser aceita há algumas décadas atrás, o fato é que hoje, em virtude do dinamismo das economias digitais e do ritmo das inovações disruptivas que surgem a todo momento, a grande verdade é que os empreendedores não têm mais escolha frente ao progresso: ou inova-se ou o negócio está fadado a ser superado pela concorrência.

Por isso mesmo, a inovação não deve ficar apenas no discurso, mas fazer parte de todos os departamentos de um negócio. Além disso, para que a sociedade como um todo usufrua dos benefícios das atitudes inovadoras, é importante que elas estejam presentes tanto no ambiente público, quanto no ambiente privado. Para tanto, precisamos entender quais são as bases da inovação nas organizações.

O que é a inovação?

Tom Peters, um dos principais especialistas em gestão do mundo, explica que “para a empresa excelente, a inovação é a única coisa permanente.” E no que realmente consiste a inovação?

Inovar é dar espaço e desenvolver o novo, mas também, readaptar processos, rotinas ou os modelos de gestão de um negócio.

Uma mentalidade inovadora sabe que nós somos os responsáveis pela produção de mudanças, pela condução do futuro e do desenvolvimento econômico. Pense, por exemplo, em todas as revoluções econômicas que vivemos ao longo dos séculos motivadas por criações inovadoras que vão desde as máquinas a vapor até os robôs de inteligência artificial, os quais se tornam cada vez mais sofisticados ao longo do tempo.

Tudo isso, obviamente, transforma as relações do mercado e, as companhias com maior alinhamento no quesito inovação, tendem a se destacar perante as demais.

As bases da inovação em uma empresa

Se você deseja difundir um comportamento mais inovador em seu negócio, ao menos cinco pontos devem ser levados em conta:

Incentivo a criatividade

O espaço para uma cultura criativa deve ser desenvolvido, incentivado e validado pelo gestor. Estimule suas equipes a produzir novas ideias e ouça as sugestões que podem trazer benefícios para o seu negócio.

Conhecimento

O conhecimento é a base para qualquer criação. Busque por colaboradores ávidos por conhecimento, novos desafios e sempre abertos para a aprendizagem. Além disso, incentive-os a adquirir novos saberes, afinal, a inovação pode surgir das mais diversas fontes.

Integração

Estimule a conversa produtiva e o debate de ideias entre seus colaboradores. A troca de experiências é outro pilar que favorece o surgimento das iniciativas inovadoras.

Cultura organizacional

O que fará com que um funcionário colabore para o progresso de seu negócio? Além de fatores básicos como o reconhecimento e a remuneração, é crucial que ele conheça e se identifique com a cultura organizacional da empresa. Deste modo, você terá funcionários motivados, que acreditam no negócio e podem trazer soluções para os desafios diários da companhia.

Liberdade

Liberdade implica aceitar que, eventualmente, falhas podem ocorrer. Não puna erros de modo a coibir a criatividade de suas equipes, ao contrário, de a chance para que seus colaboradores corrijam os processos. Só com real liberdade para o desenvolvimento de ideias é possível ver o surgimento de uma cultura de inovação.

Por fim, não se esqueça, inovar é apostar no futuro. Não abra mão da evolução de sua empresa!

Latif Abrão Jr,
Presidente da ADVB